Pesquisar este blog

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

SARNEY PROMETE APOIAR EXPLORAÇÃO DE ALGAS NO MARANHÃO

A alga Lithothamnium é encontrada a 50 quilômetros da costa do Maranhão.

Teresa Cardoso
Agência Senado

O presidente do Senado, José Sarney, recebeu, na manhã desta quarta-feira (2), o diretor-geral adjunto do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), João César de Freitas Pinheiro, que veio pedir apoio para a idéia de explorar comercialmente a alga Lithothamnium, encontrada a 50 quilômetros da costa do Maranhão. Participou da audiência Márcia Vieira, diretora de negócios da empresa Sul-Sul.

Essa alga, segundo João César Pinheiro, compunha grandes reservas subaquáticas sedimentadas no Canal da Mancha, onde foi explorada ainda viva, ao contrário do que é possível fazer no Maranhão. Ali, disse Pinheiro, estão acumulados 2 bilhões de toneladas desse vegetal morto, que pode ser sugado com dragas sem danos para o meio ambiente. João Pinheiro também disse que 3 milhões de toneladas de Lithothamnium são acumuladas anualmente na costa do Maranhão.

De acordo com João César Pinheiro, Sarney prometeu apoio para um evento destinado a reunir o DNPM, o IBAMA, organizações não-governamentais como o Instituto Chico Mendes e outros organismos em torno de um projeto de exploração dessas algas mortas. Pinheiro informou que elas são valiosas para a indústria farmacêutica, alimentícia e de cosméticos.

- Nossa idéia é montarmos no Maranhão um evento para discutir o aproveitamento desse recurso mineral de forma sustentável e que esse evento seja promovido pelo governo do estado. O presidente do Senado ficou muito motivado e entrará em contato com a governadora Roseana Sarney para levar adiante a idéia do evento.

João César disse que essa é uma oportunidade de o Maranhão mostrar ao mundo que é possível explorar um bem econômico com desenvolvimento sustentável e impacto ambiental mínimo.

- Acredito que o presidente Sarney será um agente político importante para conseguirmos recursos tanto do setor público quanto do setor privado para esse empreendimento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário